Youtubers, adolescentes e o marketing em: o que eu tenho a ver com isso?

Ilustração dos canais de Kéfera Buchaman, Porta dos Fundos e outros youtubers

Hoje resolvi abrir uma categoria nova na série sobre atendimento web para falar de comportamento digital. Especialmente, para falar o que aprendi com Kéfera Buchman, Christian Figueiredo, Federico Devito e sua trupe. Se você, como eu, tem alma madura madura talvez tenha demorado a a conhecer o universo dos youtubers adolescentes.

O formato

Apresentação do vídeo do dia, vinheta do canal, desenvolvimento e edição ágil. Mudam os temas, a qualidade da câmera, mas a estética dos youtubers se assemelham um bocado. Câmeras profissionais ou de ação, luz de estúdio ou solar, cenário ou quarto de casa. Quanto mais profissional, mais desfocado o fundo.

Os temas dos youtubers adolescentes

Desafios, 5 respostas sobre algo, lives, vloguer convidado, tags, whatsapp, snapchat e muitos outros temas que envolvem o cotidiano de quem está chegando ou saindo da adolescência.

Já parou pra pensar que o Youtube dá vazão a todas as dúvidas que só você, sua consciência e seu seleto grupo de amigos compartilhavam nos anos 1990/2000?

Há 10 anos era assim comigo. Só as comunidades do orkut eram tão bombadas quanto um youtuber da atualidade (Mentira! Bem menos bombadas). O grande mérito de quem produz conteúdo para os jovens de hoje está em compartilhar os assuntos que mais interessam ao seu público, usando a mesma linguagem deles. A busca pela afirmação da personalidade, comum nessa fase, ganha apoio com tanta gente verbalizando o que vive.

A linguagem

Erros de gramática, palavrões, memes e gírias são aceitos. Os erros ou exageros propositais são acentuados na edição. Vale colocar preto e branco nas falhas, escrever a grafia correta de alguma conjugação que passou despercebida na gravação e fazer graça do próprio erro. Quanto mais espontânea a captação, melhor. A magia fica mesmo por conta da pós-produção. Efeitos sonoros, zoom digital e muito humor são alguns dos artifícios mais usados.

A geração de negócios

É por isso que marcas de refrigerantes, pastilhas, alimentos vêm substituindo os atores por blogueiros e youtubers de audiência cativa. A quantidade de views, likes, comentários e inscritos determinam a força do escolhido. Fechar um publieditorial, propor uma viagem ou experiência com a marca são só algumas das possibilidades de fidelizar o público que o acompanha.

O movimento, que não é tão novo assim, também força uma adaptação. Para concorrer nesse mercado, quem tem visibilidade na TV explora sua imagem na internet. É o caso de atrizes como Bruna Marquezine, Giovana Antonelli e Sophia Abrahão que colecionam likes, comentários e muito envolvimento com seus fãs. Todas assinam diversas campanhas publicitárias on e offline.

Vale a pena?

Os milhões de inscritos em canais como Porta dos Fundos (10,4 milhões), 5minutos (5,5 milhões), Parafernalha (7 milhões) e Galo Frito (6,9 milhões) mostram que a exposição é certa!

Já a mensuração de resultados é um papo pra outro artigo.

Posts relacionados

Larissa Lima on FacebookLarissa Lima on Linkedin
Larissa Lima
Graduação em Jornalismo, pós-graduação em Comunicação Empresarial. Mais de 10 anos de experiência, sendo 8 dedicados à coordenação de projetos de marketing digital para empresas no Nordeste, Sul e Sudeste do Brasil.

O espaço é seu: comentário, dúvidas, sugestões