Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site

O cliente e o desenvolvedor | Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site

Essa publicação é para você que já cansou de trabalhar além do que os clientes pagaram pelo projeto. Se você ainda busca o limite entre a satisfação do cliente e a sua lucratividade, chega aqui. Confira as dicas abaixo e saiba como evitar retrabalho no desenvolvimento de site.

Mas então, como evitar o retrabalho no desenvolvimento de site nestas condições?

As fases | Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site

Nesta publicação eu divido um site em 9 fases. Elas são os marcos mais comuns de um projeto que se desenvolve usando metodologias tradicionais. Ou seja, é para o time que precisa concluir uma fase para terminar outra, o chamado método cascata. Algo muito comum para quem tem múltiplos projetos em que a entrega final é condição para receber a maior parte do cliente. Para estes casos, a aplicação integral de métodos ágil não é viável por condições que exploraremos em outro artigo.  Entenda como otimizar projetos tradicionais em cada uma das 9 fases.

1 – Contrato

Aperto de mão para simbolizar o contrato para desenvolvimento de site

É importante que a empresa de desenvolvimento e o cliente tenham clareza que este contrato vai precisar respeitar um escopo fixo. Ou seja, o time irá trabalhar dentro do prazo, custo  e escopo estimado para alcançar os entregáveis descritos. Vale lembrar que esse acordo obriga a empresa desenvolvedora a cuidar da gestão de seu projeto com alto rigor ao prazo. Quanto mais tempo envolvido, maior o custo que ela precisará segurar para viabilizar o site. Sem dúvida, um contrato que valoriza o produto final como meio de pagamento é muito vantajoso para o cliente, mas apresenta alto risco para a empresa desenvolvedora. Isso porque o contrato não considera as etapas de aprendizagem do cliente e a necessidade de eventuais mudanças ao longo do projeto.

Falando sobre mudanças, vale a pena frisar que contratos vinculados ao desenvolvimento em cascata costumam ser menos flexíveis para alterações. Quando elas existem é natural que a empresa desenvolvedora arque com as consequências da alteração para beneficiar o cliente. Dificilmente essa mudança no projeto estará prevista no contrato e na otimização financeira. Sendo assim, ganha o cliente em satisfação mas a desenvolvedora perde em lucratividade, se não prever uma forma de atender essas alterações. Isso pode ser previsto como manutenção pós entrega ou valor hora para mudança de escopo no desenvolvimento.

Ah! Neste artigo deixo algumas dicas para formulação de contrato para desenvolvimento site.

2 – Briefing

Briefing de site | Uma forma de evitar retrabalho

Para os projetos de custo pré-definido, o briefing se torna o principal documento para o time. Ele deve servir de consulta para manter todos na mesma página, respeitando o contrato e os interesses do cliente no início do projeto.

As mudanças, portanto, deverão considerar o que já está acordado. Se o contrato não prevê mudança nos requisitos, o briefing é a garantia de que o time está respeitando o que foi definido oficialmente.

Este documento deve registrar o cenário atual e o desejado para o projeto, suas características (visuais, navegação e de negócio) pretendidas, concorrentes, referências e as informações necessárias para dar andamento nas fases.

3 – Wireframe

Modelo de wireframe responsivo | Evitar retrabalho no desenvolvimento de site
Fonte: Vehikl.com

Esse é o primeiro entregável de um site. É a materialização do planejamento realizado pelo time em forma de protótipo. Costumo chama-lo de esqueleto do site porque fundamenta todas as estruturas para a recepção da pele (layout) e dos órgãos (CMS e conteúdo) que virão.

Vale a pena reservar um tempo para apresentá-lo pessoalmente ou por conferência (skype, hangout) para o cliente. Quanto maior o esclarecimento das dúvidas de funcionamento melhor. Nessa hora, vale falar de como as funcionalidades serão vistas (clique, solicitações de formulário, envio de arquivos, banners, filtros) pelo usuário.

Como o wireframe é feito sem cores e com poucos movimentos, é natural que o cliente tenha outras dúvidas ao avançar das fases. Por isso, vale a pena manter comentários e a versão aprovada do wireframe para seguir.

4 – Layout

Layout responsivo | Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site
Fonte: Themezee.com

Estamos em 2017 e os mecanismos de busca estão favorecendo os dispositivos móveis. Portanto, já sabe! Mais do que beleza, o layout do site deve priorizar a experiência do usuário em múltiplas plataformas.

É isso mesmo, a ideia do usuário first ou design first são bem-vindas nesse momento. Para evitar o retrabalho, o profissional responsável pelo layout deve realizar a arquitetura da informação já pensando em sua disposição nas diversas telas. O que significa observar tamanho das caixas, viabilidade de uso de elementos arredondados, degradês, uso de mouse e do dedo, velocidade de carregamento em diferentes conexões de internet, contraste de cliques, tipo e tamanho da fonte.

5 – Back-end (CMS)

Back-end - CMS | Dashboard de um wordpress

Front e back-end são as partes não vistas pelo cliente até que ele precise navegar pelo site e fazer alguma atualização no seu conteúdo. Muitas vezes realizada de forma integral (o cliente só vê quando pronto), o back-end é o coração do site. Popularmente desenvolvida em CMS open source (como o WordPress), esta fase é comandada pelo desenvolvedor. É ele que irá determinar como aquele layout será estruturado. Páginas, posts, plugins, navegação, categorias, integrações com sistemas, tratamento de dados são só algumas das definições desta etapa.

Para evitar retrabalho é importante seguir as boas práticas de estruturação dos elementos. Quanto mais intuitivo for o painel de administração, menor será o tempo de aprendizagem do cliente e maior a satisfação que ele terá com o site. Ao final do back-end, o programador precisa ter a certeza de que o cliente poderá realizar todas as ações registradas no briefing e no wireframe. E aí uma dica é prever a edição em modo visual. É aquela em que é possível navegar pelo site e fazer a edição no texto ao clicar na caixa correspondente.

6 – Conteúdo

Conteúdo - Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site

Esta costuma ser a fase mais negligenciada em um contrato. Há duas maneiras de viabilizar o conteúdo de um site: o cliente fornece ou a empresa desenvolvedora fornece. No primeiro caso, o retrabalho está na perda de prazo ou na inadequação do conteúdo ao layout proposto. Para evitar esses problemas, o mais recomendado é prever as responsabilidades do cliente nas fases do projeto. Ou seja, se ele vai enviar o conteúdo ele deve fazê-lo até o fim da fase de layout, antes de começar a programação. Caso contrário, o site será entregue com reserva de texto (famoso Lorem Ipsum) e eventuais ajustes serão considerados com orçamento a parte.

No caso em que o conteúdo é de responsabilidade da empresa desenvolvedora, as premissas são diferentes. A pesquisa começa após o briefing e a aprovação do conteúdo deve acontecer até o fim da fase de layout. Nesta opção, os times de conteúdo e back-end ainda podem se falar para garantir a perfeita adequação dos materiais até a fase de teste. O que é uma vantagem para a qualidade do projeto.

7 – Testes

Testes - Como evitar retrabalho no desenvolvimento de site

É nessa hora que todas as fases serão vistas em conjunto para simular a experiência do usuário final. Todos os problemas deverão ser mapeados e corrigidos antes da apresentação ao cliente. Ele também deverá fazer a sua navegação e apontar as inadequações encontradas. Para evitar retrabalho, é importante fazer um mapeamento minucioso de todos os pontos levantados. A ideia é qualifica-los de acordo com a pertinência ao escopo aprovado. Qualquer diferença que signifique um novo orçamento deverá ser negociada entre as partes para garantir escopo, custo e prazo.

8 – Publicação

Publicação - Como evitar retrabalho no desenvolvimento do site

Aqui é hora de tirar o site do ambiente de testes e levar para o servidor de hospedagem. Um novo teste será necessário depois da publicação para garantir que a experiência aprovada se mantenha. O maior retrabalho desta fase está no relacionamento com terceiros, já que nem todos os desenvolvedores são responsáveis pela estrutura de hospedagem (servidor, emails, integrações, monitoramento). Vale lembrar disso no briefing e no contrato para mapear todos os requisitos e responsabilidades até esta fase.

9 – Financeiro

Financeiro - Como evitar retrabalho desenvolvimento de site

É o contrato quem irá definir a atuação do financeiro ao longo do projeto. Quantidade de parcelas, valores , meio de pagamento estão previamente acertados no contrato do tipo custo fixo. Para o financeiro neste caso, é preciso assegurar uma estrutura de comunicação sobre o andamento do site. Ele precisa conhecer periodicamente (semanal ou mensalmente) em que fase o projeto está para poder realizar as devidas cobranças ao cliente. O retrabalho neste caso está relacionado a alguma fragilidade na definição de responsabilidades e prazo. Os atrasos, em geral, costumam gerar dor de cabeça na hora de cobrar um pagamento por alegação de insatisfação do cliente. Então, quanto mais clara e organizada for a gestão do escopo melhor.

Espero que o compartilhamento desses aprendizados tenham sido úteis para você.

Quer saber mais sobre site?

Confira o artigo abaixo e outros com a tag SITE

Preciso orçar um site para minha empresa. E agora?

Posts relacionados

Larissa Lima on FacebookLarissa Lima on Linkedin
Larissa Lima
Graduação em jornalismo, pós-graduação em comunicação empresarial, dezenas de cursos e desde 2001 com o compromisso diário de unir ideia, escopo e equipe para a realização de projetos digitais relevantes.

O espaço é seu: comentário, dúvidas, sugestões