Pesquisa: definição de processos é a maior dor das agências digitais

Dificuldade com a definição de processos

Resultado da parceria entre a Resultados Digitais e a Rock Content, o relatório “Panorama Agências Digitais – Brasil 2018” trouxe inúmeros indicadores para as empresas que se dedicam à prestação de serviços por meio da internet. O documento, realizado pelo terceiro ano consecutivo, ajuda a entender quais são as oportunidades e os desafios enfrentados. Destaque para a a estatística que aponta que a definição de processos é a maior dificuldade dos entrevistados. E é este e outros desafios para a gestão interna que trataremos hoje.

Por que a definição de processos é difícil?

Com 56,7% das menções, a definição e organização de processos são apontadas como a maior dificuldade de gestão interna. Muitas vezes as equipes acabam tocando o job de maneira automática, sem estarem suportadas por processos sólidos.

Este trecho, extraído da pesquisa, revela as consequências negativas da ausência de processos claros. Já tratamos em algumas oportunidades sobre o tema que merece até categoria específica aqui no GPD. Confundidos com burocracia ou engessamento, os processos são preteridos em meio à correria da rotina digital que ainda sofre para provar seu valor e a importância do planejamento para o alcance de resultados relevantes. Dividido entre as múltiplas atribuições, os gestores (muitas vezes donos das agências) optam por apoiar as entregas imediatas e se afastam das ações que geram mais resultados para o negócio.

Vale lembrar que os processos são aliados da eficiência, produtividade e lucratividade das agências digitais. Mapeados e constantemente atualizados, eles apoiam a capacitação do time, a gestão do conhecimento e reduzem os impactos da rotatividade em um mercado tão ágil. Ao estabelecer o caminho a seguir, o gestor reduz a tensão na equipe e favorece o alinhamento de expectativa com o cliente. Sou testemunha de que essa clareza estreita as relações de confiança em busca das customizações necessárias para a realidade de cada cliente.

Como fazer definição de processos em agência digital?

Essa tem sido minha dedicação desde que entendi que a gestão de projetos não poderia ser único sinônimo de distribuidor de jobs ou equilibrador de pratos (olha essa foto logo abaixo). Interessada em gestão do conhecimento, marketing de conteúdo e negócios fui em busca de instrumentos que me ajudassem a potencializar os acertos do meu time e a aprender rápido com os erros ao longo de cada projeto.

O Evernote virou meu melhor amigo neste trajeto. Passei a anotar todos os erros e a registrar as soluções possíveis como documentos de processo ou posts neste espaço aqui. Pois é, o GPD é um repositório atualizado para quem deseja organizar processos em agência digital. A definição deles, no entanto, precisa atender à realidade de cada empresa. E deve considerar, entre outras questões:

  • Processo de vendas
  • Responsabilidades contratuais
  • Distribuição do time, de acordo com as demandas
  • Atribuições do gestor de projetos e da alta gestão
  • Modelo de avaliação e reconhecimento
  • Capacitação do time e recursos técnicos disponíveis

Infográfico: as dificuldades

 

Confira o relatório na íntegra

Com a pesquisa, divulgada nesta landing page, você poderá:

  • Identificar os principais serviços oferecidos e o impacto disso para a receita do negócio;
  • Avaliar os fatores de sucesso das agências na oferta dos serviços de Marketing Digital;
  • Descobrir quais são os principais desafios enfrentados na geração de resultados para seus clientes e para si mesma;
  • Entender como o setor performou em aquisição de contas no último ano;

Quer saber mais? Inscreva-se na newsletter:



Posts relacionados

Larissa Lima on FacebookLarissa Lima on Linkedin
Larissa Lima
Graduação em jornalismo, pós-graduação em comunicação empresarial, dezenas de cursos e desde 2001 com o compromisso diário de unir ideia, escopo e equipe para a realização de projetos digitais relevantes.

O espaço é seu: comentário, dúvidas, sugestões