Curso de gestão de projetos digitais: o que aprendi com Douglas Bocalão

Foto do curso de gestão de projetos digitais com Douglas Bocalão

Já que este aqui virou um espaço periódico para compartilhar conhecimento sobre gestão, resolvi escrever sobre a minha recente experiência com outros colegas da área. Durante 3 noites, tive a oportunidade de participar do curso de gestão de projetos digitais promovido pelo Trampos. É o Digital Project Management: os segredos da eficiência em gestão de projetos digitais“, ministrado por Douglas Bocalão (Ampfy) e promovido dentro da categoria Master Classes do Trampos.co. Destaco os principais registros para contribuir com a sua carreira na área.

O ministrante

Douglas Bocalão. Ele é sócio e diretor de operações da Ampfy, uma agência de comunicação all-line (versão de on e off, segundo ele) que estabeleceu uma cultura baseada em projetos como pilar de seu desenvolvimento. Foi com essa apresentação e muita vontade de converter teoria em prática que Bocalão conduziu os 3 dias de exposição, sempre encadeando seus slides e exemplos com respostas sinceras às questões apresentadas pela turma, ao longos do curso de gestão de projetos digitais.

A turma

Publicitários, jornalistas, designers, administradores e até profissionais de engenharia. Do que me lembro das apresentações do primeiro dia, essas são as principais formações do time que participou comigo desse mergulho nas disciplinas de projetos. Todos com boa experiência de mercado e super disponíveis para apresentar seus pontos de vista sobre a gestão que fazem ou pretendem fazer em seu cotidiano profissional.

O curso de gestão de projetos digitais

Para mim, o curso foi uma ótima oportunidade de validar conhecimentos e de absorver muitas outras referências para lidar com as diversas demandas desta área responsável por manter uma ideia dentro do escopo, prazo e custo.

Competências pessoais, trabalho em equipe, ferramentas de gestão e certificações foram só alguns dos temas abordados nas 9 horas inteiramente dedicadas à gestão de projetos. Vale lembrar que os exemplos apresentados por lá são do universo publicitário. Nada que inviabilize os paralelos com o marketing digital (e de performance) com que lido há algum tempo.

A grade oficial do curso está aqui, mas eu resolvi compartilhar as principais anotações. Portanto, os escritos abaixo são os pontos que mais fizeram diferença para a trilha de conhecimento que tenho percorrido. Se desejar contribuir por aqui é só deixar nos comentários.

Homem subindo escada para representar a Carreira de gerente de projetos

Gerente de projeto x gerente de programa x gerente de portfolio x diretor de operações

Essa abaixo é a trilha de carreira percorrida por quem deseja ser uma referência em gestão de projetos. Segundo Bocalão:

  • Gerente de projeto: responsável pelo ciclo de vida de uma demanda (do início ao fim de um projeto). Na prática, a maioria dos gestores de projetos atua com vários projetos ao mesmo tempo. Mas normalmente são de um mesmo cliente.
  • Gerente de programa: quando o gestor de projetos atua com vários entregáveis de vários clientes.
  • Gerente de portfólio: quando o gestor atua com a gestão dos produtos ofertados pela empresa, responsável pela metologia e conta com o apoio dos gerentes de programa (núcleos) para implementação.
  • Diretor de operações: quando o gestor atua com a gestão dos produtos e da rentabilidade da empresa

As principais responsabilidades de um gestor de projetos

  • Conhecer o segmento em que atua
  • Conhecer o ciclo de vida de cada projeto
  • Conhecer os objetivos do projeto
  • Entregar o produto do projeto
  • Direcionar a execução do projeto
  • Monitorar e controlar o projeto
  • Relacionar-se com as partes interessadas (os stakeholders do artigo anterior)

Principais disciplinas para ficar de olho

  • Integração (das áreas, controle, arquivamento)
  • Escopo
  • Tempo
  • Custos
  • Qualidade
  • Recursos Humanos
  • Comunicação
  • Riscos
  • Aquisições
  • Partes interessadas

Dicas para gerir projetos

  • Crie fases (do briefing à manutenção) para acompanhar a evolução do projeto no tempo;
  • Tenha clareza sobre o escopo adequado ao projeto. Participar da definição dele é fundamental para assegurar o sucesso do entregável;
  • Conte com a equipe para definir os prazos que ela consegue cumprir, mas mantenha margem de segurança;
  • Mantenha o controle próximo do cronograma por meio de checagens das fases (checkpoints). Isso vai garantir o respeito ao prazo e ao custo previstos.

Ferramentas

De tempo

  • Team Gannt, Trello e Kanbansize

Comunicação (integração da equipe)

  • TaskRow (usado pela Ampfy)
  • Work Front (mais caro)
  • Traffic Live
  • Basecamp (mais antigo)
  • Active Collab
  • Runrunit

Qualidade

Jing, Trello, Red Pen, One Day Testing

 

Sentiu falta de alguma coisa? Deixe um comentário que vou tentar responder 😉

Posts relacionados

O espaço é seu: comentário, dúvidas, sugestões